Alvorada do Sul está em situação de epidemia de dengue

Extraído de: jornaldelondrina.com.cidades   Fevereiro 05, 2014

Com incidência de 561,23 casos para cada 100 mil habitantes, cidade registra maior incide da região. Porecatu e Jataizinho têm incidência próxima a 50. Em Londrina, incidência é de 13,39

Alvorada do Sul, localizada a cerca de 70 quilômetros de Londrina, está em situação de epidemia de dengue. A informação foi divulgada pelo relatório da Secretaria de Estado da Saúde (Sesa), nesta terça-feira (4), que leva em conta dados do último levantamento realizado pela Sesa, no período de dezembro de 2013 a janeiro de 2014. Segundo o mesmo relatório, Alvorada do Sul é o único município com epidemia do Norte do estado.

A epidemia é determinada a partir da incidência de registros ter sido a 300 casos por 100 mil habitantes nos últimos quatro meses. Segundo o relatório da Sesa, a incidência em Alvorada do Sul e quase o dobro do limite mínimo da epidemia: 561,23 casos.

Porecatu e Jataizinho também apresentam índices elevados de incidência: 49,29 e 48,44, respectivamente. Já em Londrina, o índice de incidência é de 13,39 casos para cada 100 mil habitantes.

Um outro levantamento da Sesa aponta as condições climáticas favoráveis à reprodução e desenvolvimento de focos (criadouros) e dispersão do mosquito Aedes aegypti. Neste quesito, Londrina aparece com risco alto de reprodução. Por isso, a Sesa alerta que municípios com alto risco devem adotar medidas preventivas sejam intensificadas para evitar situações críticas, pois o período se apresenta com alto risco para ocorrência de casos.

O superintendente de vigilância de saúde da Secretaria de Saúde, Sezifredo Paz, explica que além dos casos da doença, outra forma de controle é pela infestação do mosquito no estado. Paz alerta que o Paraná tem hoje 55 municípios considerados em alto risco de epidemia porque ao menos quatro residências em 100 apresentaram foco do Aedes aegypt. Ele ressalta que esse número poderá aumentar já que as condições climáticas para as próximas semanas começam a se tornar mais favoráveis ao mosquito.

Entretanto, segundo o superintendente, até agora os números do período de 2013 a 2014 são menores se comparados aos registrados no mesmo período de anos anteriores no estado. "A dengue para nós já é uma endemia que ocorre em maior ou menor grau todos os anos e que exige que façamos esse trabalho de parceria com os municípios", afirma Paz. Ele ressalta que além das ações do poder público, é imprescindível que a população faça a sua parte eliminando os criadouros do mosquito e procurando o atendimento adequado assim que apresentar os sintomas da doença.

Autor: Vinculado ao jornaldelondrina.com.cidades


 
 
Deixe seu comentário



Siga o PasseiAki