Ano de Copa e Eleição - Bem a cara do Brasi

Extraído de: portalbenicio.com.br.noticias   Fevereiro 17, 2014

EDITORIAL

Este será um daqueles anos em que acharemos que ele passará rápido. Não se trata de diminuição na quantidade de dias, mas pelo fato de ser um ano em que coincide a disputa eleitoral e a copa do mundo, no Brasil.

Se já era de praxe afirmar que, por aqui, “a vida só volta ao normal após o carnaval”, significa dizer que 2014 será um ano atípico porque, além da copa e a disputa eleitoral, os acontecimentos de rotina também terão que acontecer.

Devemos lembrar que os anteriores já são considerados regulares em nossas vidas. É o caso do carnaval, da Semana Santa, das exposições agropecuárias, da temporada de praia, dia dos pais, mães, seu aniversário, campeonatos estaduais, brasileirão, Copa do Brasil, Libertadores, o aniversário de sua cidade independência e Natal e Ano Novo que retornam, sempre.

Nesse intervalo há de ser acrescentada a disputa no campo de jogo, Copa do Mundo (no Brasil) e a mais importante delas que é a disputa eleitoral, onde vamos escolher nosso ‘novo’ presidente(a), ‘novo’ governador, ‘novos’ senadores, deputados federais e estaduais.

É a chamada campanha nacional que nos permite promover a troca daquelas peças que não funcionaram, bem, na engrenagem administrativa de nosso País e de nosso Estado. O povo brasileiro, e do Estado, tem esse poder.

Será?...

A pergunta diz respeito a tal mudança que sempre é proposta, não pelos pretensos candidatos, mas aquelas que o povo sempre promete que fará.

“Precisamos mudar”, “a coisa ta preta”, “falta saúde, educação, infraestrutura, falta incentivo ao esporte, a cultura, etc...etc...”.

A oportunidade existe, mas depende de sua consciência para saber se realmente ela deve acontecer. É neste momento que medimos o nosso grau de inteligência ou de disparate.

Não significa que tudo está ruim porque alguém que quer ocupar o lugar de quem está no poder disse que nada funciona.

Não é ele, o oponente, que deve fazer com que você promova a mudança, mas a sua consciência precisa funcionar, dessa vez, para não reclamar amanhã. Porque, enquanto fazemos as fotos no espelho do banheiro e expomos nossa intimidade com os mínimos detalhes no Facebook, lá fora, longe do computador, as coisas continuam acontecendo como sempre aconteceram.

Em 2013 a população brasileira foi às ruas para reivindicar, mas infelizmente não sabia o que estava reivindicando. Foi um movimento desnorteado que não resultou em nada porque não havia objetivos específicos. Após os movimentos esse mesmo povo se recolheu e voltou a reclamar “da situação”.

É preciso retornar à velha pergunta: a saúde, educação, a infraestrutura, o trânsito, o esporte a cultura etc... etc... melhoraram?

Se você entende que sim, então permaneça dando credibilidade a tudo que está aí, mas se você acha que não, o momento é propício para promover aquela velha mudança que seu bisavô, seu avô e seu pai sonharam fazer e que você herdou, mas que ainda não aconteceu.

Caso contrário, não reclame.

Continue curvado diante do computar e quando precisar de saúde ou outra coisa parecida aceite o que os seus governos lhes oferecem.

A Copa do Mundo e outros eventos festivos não devem desviar o objetivo principal que é decidir os destinos desse País e desse Estado.

A força está em sua consciência para exercer o poder de mudança, ou de permanência.

Chega da pejorativa de que “todo povo tem o governante que merece”.

Feliz viagem até o dia 6 de outubro.

Nesse dia já teremos decidido quem irá administrar o nosso País e o nosso Estado.

Seja bem vindo um 2014 consciente...

Ou você vai optar pelo “rolezinho”? 

Autor: Vinculado ao portalbenicio.com.br.noticias


 
 
Deixe seu comentário



Siga o PasseiAki