ANS define regras para reajuste de planos coletivos

Extraído de: gazetadopovo.vida.cidadania   Outubro 25, 2012

A partir de maio de 2013, as operadoras devem agrupar, para calcular um reajuste único, os contratos dos planos coletivos de saúde com menos de 30 beneficiários

  • Saiba mais
  • Médicos de planos de saúde novamente adiam paralisação no PR

A Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) regulamentou nesta quinta-feira (25), por meio de resolução publicada no Diário Oficial da União, as novas regras para o reajuste dos contratos dos planos coletivos de saúde com menos de 30 beneficiários. Esses planos representam 85% dos contratos de planos de saúde no País, segundo a Agência.

A partir de maio de 2013, as operadoras de planos de saúde devem agrupar esses contratos para calcular um reajuste único. A regra vale para os contratos coletivos de empresas ou por adesão, firmados até 1º de janeiro de 1999. Ficam excluídos dessa regra os contratos referentes a planos exclusivamente odontológicos e planos para ex-empregados.

O objetivo, segundo a ANS, é diluir o risco dos contratos nos planos coletivos com menos de 30 beneficiários para o maior equilíbrio no cálculo do reajuste. A agência esclarece que não definirá o porcentual de reajuste desses planos, mas sim as regras para o cálculo desses porcentuais.

Autor: Vinculado ao gazetadopovo.vida.cidadania


 
 
Deixe seu comentário



Siga o PasseiAki