Belém: registradas três mortes na tarde de domingo Os crimes ocorreram em Marituba e Icoaraci

Extraído de: noticias.orm.policia   Junho 10, 2013

Três assassinatos ocorreram na Região Metropolitana de Belém (RMB), na tarde de domingo (9). Em Marituba, Paulo Roberto Pereira, o 'Paulo Concha', de 50 anos, foi morto com nove facadas quando tentava matar a própria sogra, na estrada da Pireli, às 16h30. Várias testemunhas apontaram que o autor do homicídio foi o cunhado de Paulo, Francisco de Assis Brandão do Carmo, que salvou a mãe da ira da vítima. No mesmo município Estanley Fernando de Assis Fagundes, de 20 anos, foi alvo de vários tiros, na estrada da Cerâmica, às 13 horas. Já no distrito de Icoaraci, Eduardo Gomes Cabral, de 21 anos, foi assassinado com um tiro de pistola calibre ponto 40 na cabeça, na passagem Castro Alves, por volta das 15 horas. Nenhum acusado foi preso. À exceção de Francisco, nenhum outro acusado havia sido identificado até ontem à noite. Paulo era dono de uma sucataria na BR-316. Na seccional de Marituba, o escrivão Paulo Sérgio Frade contou que há um mês a vítima havia sido roubada na própria residência, ocasião em que perdeu uma moto e vários pertences e quando também foi ferida. A vítima suspeitava que a sogra tivesse envolvimento com o assalto e, por isso, foi tomar satisfações com ela. A delegada Renata Guedes, da Divisão de Homicídios, que está apurando o ocorrido, disse que Paulo estava bebendo num balneário, ontem, e, depois de manter a companheira em cárcere privado, deixou o sítio em que residia, na estrada da Pireli, dizendo que ia até a casa da sogra matá-la. A sogra mora na mesma estrada, próximo ao sítio. 'Houve legítima defesa de terceiros, pois Francisco desferiu os golpes para evitar que a própria mãe fosse morta. A vítima tinha várias companheiras e batia nelas. Ele (Francisco) matou para não morrer', disse a delegada. Ainda de acordo com ela, Paulo foi até o local com uma faca, mas foi morto com outra faca. Na Divisão de Homicídios, a idosa não quis dar entrevista. O filho dela está foragido.
 
Dívida com traficantes motiva execuções
 
Nos outros dois crimes, a polícia suspeita que a motivação tenha sido dívida com traficantes de drogas. Uma pessoa que identificou-se como familiar de Eduardo e pediu para não ser identificada conta que a vítima era reservada, mas tinha uma dívida antiga com traficantes do conjunto Eduardo Angelim. Há um mês, Eduardo havia retornado de São Paulo , onde passou um ano. Ontem, ele estava na companhia de parentes e amigos num bar, quando o local foi invadido por um homem branco, alto, magro e loiro, que estava armado. Várias pessoas se esconderam dentro da casa da dona do bar, enquanto Eduardo e outras duas pessoas fugiram, pulando os quintais das casas. Eduardo foi perseguido pelo loiro até a terceira casa, onde entrou e, após luta corporal, foi abatido na cozinha. A família que reside no imóvel ficou em pânico. A vítima levou três tiros: na cabeça, na mão e no braço. O loiro saiu da casa, trancando o portão e proibindo qualquer pessoa de entrar no local. Enquanto isso, um homem gordo, que estava armado, ficou na porta do bar, impedindo que qualquer pessoa saísse.
 
Vítima já vinha sofrendo ameaças de mortes, afirmam parentes
 
As testemunhas contam que o gordo e o loiro, que são desconhecidos na área, estavam circulando próximo ao bar e à residência de Eduardo aproximadamente meia hora antes do crime, junto com um deficiente físico que tem apenas uma perna e outro homem. Os quatro usaram como apoio duas motos, sendo uma Broz laranja e uma Titan preta, além de um Meriva branco e de um táxi Uno, de placa CVA-5423, de Marituba, sendo que o último veículo acabou sendo abandonado no local. Eduardo morreu a caminho do Hospital Abelardo Santos, na ambulância. Na seccional de Marituba, o delegado José Antônio Souza Júnior, que apura a morte de Estanley, contou que familiares da vítima revelaram o envolvimento dele com traficantes, para os quais trabalhou como 'avião' (transportando drogas) e vendedor. Estanley supostamente tinha dívidas com os criminosos e já vinha sendo ameaçado. O delegado detalhou que, ontem, dois homens se aproximaram de moto, na rua, e atingiram a vítima com vários tiros.Tapanã - Morreu no domingo(9) no Hospital Metropolitano de Urgência e Emergência Geovani Costa Reis, de 26 anos. De acordo com o boletim de ocorrência registrado na Delegacia de Crimes Violentos daquele estabelecimento, ele levou três tiros no peito, na ocupação parque União, no bairro do Tapanã, onde residia. Segundo o familiar que registrou a ocorrência, uma dívida motivou o crime.Fonte: Jornal Amazônia
Autor: Vinculado ao noticias.orm.policia


 
 
Deixe seu comentário



Siga o PasseiAki