Corpo de professor foi enterrado no Cemitério São Miguel, em Garanhuns

Extraído de: interjornal.noticias   Janeiro 30, 2014

Velório teve a presença de centenas de pessoas, no ginásio do Sesc. Enterro ocorreu nesta noite, com a presença de amigos e familiares.

Magno Wendel/ TV Asa BrancaBaixar imagem Ampliar imagem
Corpo foi enterrado no cemitário da Boa Vista, nesta noite.

Na noite desta quinta-feira (30), o corpo do professor Edelson José Cruz Lima foi enterrado no Cemitério São Miguel, no Bairro da Boa Vista, em Garanhuns, no Agreste pernambucano, com a presença de amigos e familiares. O corpo foi velado no ginásio da unidade do Serviço Social do Comércio (Sesc) do município, onde trabalhava, e recebeu a visita de centenas de pessoas.

Ele tinha 54 anos e estava desaparecido desde o último sábado (25); e foi achado morto na quarta-feira (29). A delegada de plantão, Débora Tenório Bandeira, disse que o corpo estava em um local de difícil acesso, no Sítio Aguazinha, na zona rural, e estava desfigurado e em estado de decomposição. Também na quarta, o delegado responsável pelas investigações do caso, Helianthus Soares, comunicou que, a partir do chassi, um carro queimado foi identificado como sendo do professor.

Edelson Lima trabalhava ainda em outros municípios da região de Garanhuns. Ele foi visto pela última vez no Bairro da Boa Vista, e o carro queimado foi encontrado no município de Angelim, também no Agreste. Ao G1, na terça-feira (28), uma sobrinha do professor disse que ele estava com três pessoas em casa – um amigo e dois marceneiros. Edelson Lima teria deixado o amigo cuidando da residência e saiu com os trabalhadores. Destes, um era conhecido, o outro não. A família registrou o caso no domingo (26). O delegado não confirmou a informação sobre os marceneiros.

Reprodução/ Facebook
Baixar imagem Ampliar imagem
Edelson Lima foi encontrado morto na noite desta quarta-feira (29).
Autor: Vinculado ao interjornal.noticias


 
 
Deixe seu comentário



Siga o PasseiAki