Gigante do Samba busca luxo do hexa

Extraído de: interjornal.noticias   Janeiro 20, 2013

Desfile: A agremiação levará para a avenida, no dia 11, um tema que mistura a mitologia grega com Iemanjá, a Rainha do Mar. Serão 21 alas, 2.100 integrantes e seis carros alegóricos

Em busca do hexacampeonato, a Escola Gigante do Samba, na Bomba do Hemetério, Zona Norte do Recife, está no fim dos preparativos para o Carnaval. Com 21 alas e 2.100 integrantes, a agremiação traz o enredo criado pelo carnavalesco Ilário Silva, A rainha que canta e dança em noite de lua cheia no reinado de Poseidon. O tema mistura a mitologia grega com Iemanjá, a Rainha do Mar, e promete trazer alegria e samba de qualidade para a avenida. A Gigante desfila às 3h do dia 11 de fevereiro e tem uma hora para convencer os jurados.

Serão seis carros alegóricos. Em um deles, a águia branca, símbolo da escola. Entre as alas estão Afrodite, Poseidon, Baianas, Pescador, Flores do mar, Cardume e São Jorge. Diretora de Carnaval, costureira e chefe da ala de São Jorge, Sílvia Mendes, 65 anos, também desfila pela Gigante do Samba há mais de 40 anos. "É um trabalho que dá prazer e a expectativa é ganhar porque o hexa é luxo", brinca. A equipe de Sílvia ainda é integrada por Yara de Lima, 42, também diretora de Carnaval e chefe da ala Afrodite, Edson Braz, 42, José da Silva, 25, Odila dos Santos, 84, Jamerson Fernandes, 20, e Jonathan Tenório, 15. Eles ajudam na montagem dos adereços e acabamento dos figurinos e estão trabalhando desde agosto do ano passado. "É muito trabalho mas é um prazer enorme estar na avenida e ver a Gigante do Samba", relata a costureira.

De acordo com o presidente da agremiação, Rivaldo Lacerda, a escola gasta muito para comprar os materiais e montar o desfile, mas é um trabalho que vale a pena. "Vamos mostrar uma história muito bonita com a rainha e as riquezas do mar", afirma. No ano passado, a escola homenageou o Rei do Baião, Luiz Gonzaga, e sagrou-se pentacampeã.

O secretário da escola, Luiz Mário da Silva, 55, está na Gigante desde a adolescência e ocupa o cargo administrativo há 15 anos. Ele acredita em mais uma vitória. "Vamos brigar pelo título como brigamos todos os anos", diz. Ele começou tocando na bateria que hoje tem 162 integrantes.

Na sede da escola também tem lugar um projeto da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE) no qual três professores de música dão aulas teóricas e práticas de samba para crianças de 4 a 12 anos. O Samba é viver começou no segundo semestre do ano passado e vai até o meio de 2013 com aulas todos os sábados, a partir das 8h30. Já os ensaios acontecem às terças e sextas, a partir das 20h, na sede na Rua das Crianças, nº 63.

Autor: Vinculado ao interjornal.noticias


 
 
Deixe seu comentário



Siga o PasseiAki