Projeto de lei delimita quantidade de alunos nas salas de aula

Extraído de: msrecord.noticias   Outubro 22, 2012

Nas escolas públicas do Estado exigência já vem sendo cumprida

MS Record

Você já procurou saber quantos alunos tem na sala de aula dos seus filhos? O desempenho escolar da criança pode estar diretamente relacionado a essa questão. E até hoje não existia nenhuma legislação que determine qual o limite permitido.

Um projeto de lei, em tramitação em Brasília, pode mudar essa realidade. Se for sancionado, as escolas vão ter de obedecer limites, de acordo com a faixa etária da criança.

Juntos eles somam 19 alunos. São estudantes do terceiro ano do Ensino Fundamental. Na aula é de ciências e aprendem, em grupo, como funciona o processo de fotossíntese.

A escola é particular e a regra por aqui é: poucos alunos na sala. Nada de excesso. E a professora concorda. Leciona há 10 anos e garante: com um número menor de alunos, tudo fica mais fácil.

“E quando o aluno também não entende, ele tem como pedir o auxilio do professor, porque esse professor tem o tempo para poder ajudá-lo. Em uma sala maior com mais alunos, esse professor talvez não consiga chegar em todos os alunos”, afirmou a professora Flávia Souza de Almeida. 

Ter um limite de alunos nas salas de aula para garantir um melhor rendimento escolar é uma necessidade que acabou virando projeto de lei, foi aprovado pelo Senado, mas ainda precisa passa por votação na Câmara dos Deputados. 

O projeto determina que o ensino infantil, e os dois primeiros anos do Ensino Fundamental, tenham até 25 alunos por sala. Já para as outras turmas do Ensino Fundamental e Médio, o número máximo é de 35 alunos.

“Aqui a escola já faz isso, sempre fez, porque entende a necessidade de uma sala menor onde os alunos possam ser atendidos. Se isso for estendido a todas outras escolas do país, mais professores poderão ter um ensino de qualidade para esses alunos”, garantiu Flávia. 

Há três anos Thalles decidiu mudar de colégio. Sempre estou em escola particular, mas os mais de 50 alunos, numa única sala, atrapalha bastante. “Os alunos nem sempre eram educados, então, eles faziam bastante barulho, conversavam. Nem sempre dava para eu assimilar todo o conteúdo, não dava para entender tudo e o professor também não controlava todo mundo na sala de aula, porque é impossível, ele também nem conhece todo mundo quanto tem 50 alunos em sala”, afirmou o estudante Thalles Henrique Cruz Cance. 

Das mais de 100 escolas particulares de campo grande, 80% delas operam com excesso de alunos, para o presidente do sindicato dos professores além do ensino aos alunos, a lei vai garantir ao professor mais saúde. Menos strees.

“Há poucos anos estava uma demonstração de que professor é agredido pelo aluno, teve um caso onde o aluno ascendeu um isqueiro na cabeça da professora, essa pequenas agressões levam o professor a não ter uma saúde e quanto maior for o número de alunos mais ele vai ter problemas de saúde, realmente. Muito mais estressado com certeza”, concluiu o presidente do Sindicato dos Trabalhadores em Estabelecimentos de Ensino no Estado de Mato Grosso  do Sul (Sintrae MS), Ricardo Martinez. 

Nas escolas municipais e estaduais, essa exigência já vem sendo cumprida. O Conselho Estadual de Educação já havia estipulado esse limite, hoje, recomendado no projeto de lei.

(Com colaboração de William Franco, TV MS Record)
Autor: Vinculado ao msrecord.noticias


 
 
Deixe seu comentário



Siga o PasseiAki